Seguidores

EMAIL DE CONTATO

cordeirinhosdosenhor.asr@gmail.com

Pesquisar este blog

terça-feira, 17 de abril de 2012

Lembrança dia dos Pais

Sugestão para programa dos pais.
Remexendo nos meus CDs antigos encontrei este programa talvez alguém possa usa-lo.

FIQUE SABENDO
A origem do Dia dos Pais
Ao que tudo indica, o Dia dos Pais tem uma origem bem semelhante ao Dia das Mães, e em ambas as datas a idéia inicial foi praticamente à mesma: criar datas para fortalecer os laços familiares e o respeito por aqueles que nos deu a sua vida.
Conta à história que em 1909, em Washington, Estados Unidos, Sonora Louise Smart Dodd, filha do veterano da guerra civil, John Bruce Dodd, ao ouvir um sermão dedicado às mães, teve a idéia de celebrar o Dia dos Pais. Ela queria homenagear seu próprio pai, que viu sua esposa falecer em 1898 ao dar a luz ao sexto filho, e que teve de criar o recém-nascido e seus outros cinco filhos sozinho. Algumas fontes de pesquisa dizem que o nome do pai de Sonora era William Jackson Smart, ao invés de John Bruce Dodd.
Já adulta, Sonora sentia-se orgulhosa de seu pai ao vê-lo superar todas as dificuldades sem a ajuda de ninguém. Então, em 1910, Sonora enviou uma petição à Associação Ministerial de Spokane, cidade localizada em Washigton, Estados Unidos. E também pediu auxílio para uma Entidade de Jovens Cristãos da cidade. O primeiro Dia dos Pais norte-americano foi comemorado em 19 de junho daquele ano, aniversário do pai de Sonora. A rosa foi escolhida como símbolo do evento, sendo que as vermelhas eram dedicadas aos pais vivos e as brancas, aos falecidos.
A partir daí a comemoração difundiu-se da cidade de Spokane para todo o estado de Washington. Por fim, em 1924 o presidente Calvin Coolidge, apoiou a idéia de um Dia dos Pais nacional e, finalmente, em 1966, o presidente Lyndon Johnson assinou uma proclamação presidencial declarando o terceiro domingo de junho como o Dia dos Pais (alguns dizem que foi oficializada pelo presidente Richard Nixon em 1972).
No Brasil, a idéia de comemorar esta data partiu do publicitário Sylvio Bhering e foi festejada pela primeira vez no dia 14 de Agosto de 1953, dia de São Joaquim, patriarca da família.
Sua data foi alterada para o 2º domingo de agosto por motivos comerciais, ficando diferente da americana e européia.
Pelo menos onze países também comemoram o Dia dos Pais à sua maneira e tradição.
Na Itália e Portugal, por exemplo, a festividade acontece no mesmo dia de São José, 19 de março. Apesar da ligação católica, essa data ganhou destaque por ser comercialmente interessante.
Reino Unido - No Reino Unido, o Dia dos Pais é comemorado no terceiro domingo de junho, sem muita festividade. Os ingleses não costumam se reunir em família, como no Brasil. É comum os filhos agradarem os pais com cartões, e não com presentes.
Argentina - A data na Argentina é festejada no terceiro domingo de junho com reuniões em família e presentes.
Grécia - Na Grécia, essa comemoração é recente e surgiu do embalo do Dia das Mães. Lá se comemora o Dia dos Pais em 21 de junho.
Portugal - A data é comemorada no dia 19 de março, mesmo dia que São José. Surgiu porque é comercialmente interessante. Os portugueses não dão muita importância para essa comemoração.
Canadá - O Dia dos Pais canadense é comemorado no dia 17 de junho. Não há muitas reuniões familiares, porque ainda é considerada uma data mais comercial.
Alemanha - Na Alemanha não existe um dia oficial dos Pais. Os papais alemães comemoram seu dia no dia da Ascensão de Jesus (data variável conforme a Páscoa) . Eles costumam sair às ruas para andar de bicicleta e fazer piquenique.
Paraguai - A data é comemorada no segundo domingo de junho. Lá as festas são como no Brasil, reuniões em família e presentes.
Peru - O Dia dos Pais é comemorado no terceiro domingo de junho. Não é uma data muito especial para eles.
Austrália - A data é comemorada no segundo domingo de setembro, com muita publicidade.
África do Sul - A comemoração acontece no mesmo dia do Brasil, mas não é nada tradicional.
Rússia - Na Rússia não existe propriamente o Dia dos Pais. Lá os homens comemoram seu dia em 23 de fevereiro, chamada de "o dia do defensor da pátria" (Den Zaschitnika Otetchestva).
Independente do seu lado comercial é uma data para ser muito comemorada, nem que seja para dizer um simples "Obrigado Papai”!


     Tema: Papai! Meu amigo preferido!

Abertura:
Grata Homenagem.
(um menino e uma menina com voz audível e boa entonação)

Menino: A você que um dia assumiu a paternidade, encarando-a como realmente é - tremenda responsabilidade e sublime privilégio;

Menina: A você, que é pai e luta arduamente para orientar seus filhos nos caminhos da retidão, dando-lhes, sobretudo seu melhor exemplo, e a luz que os guia neste mundo escuro;

Menino: A você que busca, através de sua dedicação à igreja e, especialmente, sua comunhão com Deus, maior determinação para cumprir fielmente seus deveres no lar, como patriarca da família;

Menina: A você, que talvez esteja enfrentando sérios problemas como o desemprego, uma enfermidade grave, e não sabe prover às necessidades de seus filhos;

Menino: A você, que está a beira do desespero porque se sente incapacitado de proporcionar-lhes tudo o que você tem sonhado, pai extremoso e amigo leal;

Menina: Enfim, a você - PAI, nossa grata homenagem no seu dia! E, para traduzir nosso profundo reconhecimento, transmitimos-lhes agora as mensagens de conforto e estímulo do salmos 20.

(Colocar música que se encontra no Cd na pasta fundos musicais, enquanto o narrados lê o seguinte):


O SENHOR te ouça no dia da angústia, o nome do Deus de Jacó te proteja.

Envie-te socorro desde o seu santuário, e te sustenha desde Sião.

Lembre-se de todas as tuas ofertas, e aceite os teus holocaustos.

Conceda-te conforme ao teu coração, e cumpra todo o teu plano.

Nós nos alegraremos pela tua salvação, e em nome do nosso Deus arvoraremos pendões; cumpra o SENHOR todas as tuas petições.

Agora sei que o SENHOR salva o seu ungido; ele o ouvirá desde o seu santo céu, com a força salvadora da sua mão direita.

Uns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do SENHOR nosso Deus.

Uns encurvam-se e caem, mas nós nos levantamos e estamos de pé.

Salva-nos SENHOR; ouça-nos o rei quando clamarmos.




Feliz Dia Papai!
(Entram quatro crianças vestidos com a gravata do papai).


Papai, neste grande dia
Felizes nós estamos;
Pois em tua boa companhia,
Nunca nos sentimos sós.

Papaizinho, nós desejamos
Trazer muita alegria
E por isso, aqui estamos
A comemorar teu dia.


Somos peraltas, sabemos,
Mas somos bons, podes crer
Se algumas artes fazemos
Não é por nosso querer.

A ti que sabes perdoar
Amamos com devoção
E aqui estamos pra te dar
Todo nosso coração!



Jogral:
As mãos de meu pai
(Três vozes femininas e três vozes masculinas).

Meninas:          As mãos de papai. Como esquecê-las?!
Menino1:         Elas sempre providenciaram meu abrigo.
Menina2:          meu sustento e meu ensino.
Menino3:         Quando eu era um menino me levaram à escola
Meninos:         as mãos de meu pai!
Menino1 e Menina3:     São as mais fortes, cheias de honestidade.
Menina1:          Tímidas às vezes na sua simplicidade, acenando-me quando ia trabalhar...
Menino2:         As mãos que eu mais admiro e quero hoje cantar.
Todos:             Neste domingo bonito, no seu dia meu pai.
Menina3:          Data em que o comércio anuncia seus presentes.
Menina1 e Menino 2:Porém, por mais que eu tente, não consigo encontrar
Menina2:          Um presente verdadeiro para entregar a você.
Todos:             Que tem as mãos de guerreiro as mais bonitas que eu já vi!
Meninas:          Essas mãos tanto cuidaram de mim, em toda minha existência.
Menino3:         Que às vezes me parecem às únicas que eu conheci...
Menino1:         Mãos que me abençoam me protegem.
Menino2:         E com firmeza e carinho.
Menina3:          Da vida me mostram o caminho.
Todos:             Obrigado Senhor por meu pai
Menina2:          Verdadeiro sentinela em vigília sem fim.
Menina1:          Cheio de fé coragem e amor
Menino 2:        Sempre zelando por mim
Meninas:          Oh meu Deus e te agradeço pelas mãos de papai!
Menino2:         Mãos trêmulas, tantas vezes na preocupação de nos dar melhor.
Menina1:          Mãos diligentes abrindo a bíblia e unidas tão bonitas para orar.
Menina2 e Menino2: Orar por todos lá em casa.
Meninas:          E pelo mundo inteirinho!
Menino 1:        Pois o coração de papai é mesmo um jardim imenso.
Menino3:         Ensolarado lindo sem fronteiras...
Todos:             Aberto de par em par para a humanidade inteira!
Menino2:         Papai, em tempo de agradecer, eu não poderia esquecer suas mãos tão cheias de amor.
Menina1:          E não esqueça o senhor, o quanto lhe quero bem.
Menina:           Portanto, sua bênção, meu pai!
Todos:             E que Deus o abençoe também!




Encenação:
Papai, você é nosso exemplo
                                    (Lory E. Predebom).
Personagens: Cinco meninos de 8 a 12 anos.
Cenário: Algumas Cadeiras, uma mesa pequena, sobre a mesa um espelho.
(Tiago e Cristofer entram, um traz o chapéu e uma camisa de homem, o outro um par de sapatos de homem e uma gravata. A gravata já deve estar com o nó pronto para que ele a ponha pela cabeça. Ambos começam a vestir estas peças de roupa do papai por cima da roupa que eles usam, depois pegam o espelho e começam a olhar-se, ajeitam melhor o chapéu, a gravata, viram a cabeça para lá e para cá como se estivessem a observar-se bem).

Tiago: Olha Cristofer, como eu fiquei bem com o chapéu e a camisa do papai.

Cristofer: Ficou bem. Eu também estou parecido com ele com esta gravata (olha-se) e os sapatos dele. (Os dois caminham um pouco pra lá e pra cá). Entram três meninos um pouco maiores).

Paulo: Mas o que vocês estão fazendo?

Raul: Eles estão se fantasiando.

Marcelo: Acho que vão a alguma festa caipira.

Tiago: Não é nada disso, estamos usando as roupas de papai porque queremos ficar parecidos com ele.

Cristofer: Olha os sapatos e a gravata (mostrando). Não acham que fiquei parecido com ele?

Marcelo: Que bobinho? Não estão parecidos com ele não!

Cristofer e Tiago: (com expressão zangada). Estamos sim!

Raul: O pai de vocês é alto e vocês são baixinhos...

Paulo: O pai de vocês tem cabelo crespo e o de vocês é liso.

Marcelo: Isto mesmo, a roupa não está adiantando nada.

Tiago: Vocês só viaram aqui para tirar nossa alegria.

Paulo: Esperem, não é preciso ficar triste, acho que sei como todos nós podemos nos parecer com nossos pais.

Cristofer: Sabe mesmo? E como é?

Paulo: Ficar parecido com nossos pais “por fora” nem sempre é fácil, mas podemos ficar parecidos “por dentro”.

Marcelo: Meio complicado não entendi

Raul: Eu também não entendi, acho bom você explicar como é isso Paulo.

Paulo: É o seguinte: Se nós imitarmos o que o papai diz, o que ele faz e como ele trata as pessoas nós ficaremos parecidos como ele é “por dentro”, estão entendendo agora?

Marcelo: Sim, entendi as ações, as palavras e o modo de ser do nosso pai devem ser imitados e então seremos parecidos com ele.

Paulo: Exatamente. E nós agora vamos fazer o seguinte: Cada um de nós pensará como é seu pai e dirá o que vai imitar.

Raul: certo, gostei da idéia.

Marcelo: (Senta-se e apóia a cabeça nas palmas das mãos, fica triste).

Tiago: Meu pai é carinhoso com mamãe e comigo e trata bem a todas as pessoas; vou imitá-lo sendo assim também.

Raul: Meu pai é muito responsável; é pontual em seu trabalho, matem sempre suas contas em dia, acho isso muito bonito e vou imitá-lo.

Cristofer: Papai é alegre, está sempre bem humorado, é muito simpático. Quero ser assim também.

Paulo: Meu pai é um bom cristão, por isso ele é honesto, verdadeiro e muito amável. Acho que devo imitá-lo.

Raul: (olhando para Marcelo). Marcelo, você está triste e pensativo?

Paulo: Sim, não vai nos dizer em que vai imitar o seu pai?

Marcelo: Imitar meu pai? Acho que não devo... Mamãe vive triste com as atitudes de papai e se eu imitá-lo ela vai ficar triste comigo também.

Raul: Mas o que fez seu pai?

Marcelo: Papai tem um gênio terrível, maltrata mamãe, briga com as pessoas por qualquer coisinha. Ele sempre diz que “não levo desaforo pra casa”. Acham que devo imitá-lo?

Paulo: Não, não deve. Todas as pessoas devem saber controlar-se e não viver brigando à toa.

Marcelo: Ele também mente. A semana passada ele acordou tarde e não quis ir trabalhar. Quando a mamãe disse que isso ia prejudicá-lo no trabalho ele disse: “Que nada! Amanhã eu chego e digo para o meu patrão que hoje estava doente e ele irá acreditar”. E não é a primeira vez que ouço papai mentir.

Tiago: Mamãe diz que não devemos mentir. Quem mente desagrada a Jesus.

Marcelo: Ontem saí com meu pai para comprar carne. Ao sair do açougue papai disse: “O açougueiro me deu dez reais a mais no troco; azar o dele pois não vou devolver. Quem manda ele ser desatento!”

Raul: Você não pode nem deve imitar seu pai. Marcelo, você é meu amigo e eu estou muito triste por você ter um pai assim.

Paulo: Estou percebendo que você até se envergonha destas atitudes de seu pai. Talvez se agente fosse falar com ele, dizer que ele deve mudar e não ser mais assim...

Raul: É isto mesmo! Diremos a ele que se ele quer ter um filinho bom, honesto, cheio de boas virtudes, ele deve ser assim primeiro para que Marcelo possa imitá-lo e também se orgulhar dele.

Paulo: Sim vamos falar com ele, mas antes disso quero dizer alguma coisa para os papais que estão aqui hoje; Papais, cuidado com o que vocês dizem e fazem, nós, seus filhos, gostamos de imitá-los. ( virando para  os amiguinhos) Agora vamos falar com o papai de Marcelo. (Saem todos)

Aplicação Bíblica: O exemplo de Abraão.


Esta sugestões eu tirei da net.

























Um comentário: